[Fechar]

Header Ads

Adolescente de 17 anos é suspeito de estuprar deficiente em São José do Bonfim


Um adolescente de 17 anos está sendo apontado como o principal suspeito de um estupro ocorrido nesta madrugada, dia 23, em São José do Bonfim. O crime já foi registrado na Delegacia Especializada da Mulher (DEM).

A vítima, que tem 20 anos de idade e é deficiente, além de tomar medicação controlada e ter problema ósseo, foi levada pela família para o IML de Patos onde passou por exames para detectar se o estupro foi consumado, e em seguida, foi levada para a Maternidade Peregrino Filho onde passou pelo procedimento de profilaxia, medicação para evitar DST/AIDS e gravidez indesejada.

A mãe da vítima contou a reportagem do patosvedade.com que sua filha tinha chegado em casa com a roupa tomada de sangue e que percebeu que a filha não estava no quarto quando ouviu um barulho na porta e achou ser um ladrão entrando em casa. Ela abriu a porta da casa e saiu em busca da filha. “Quando eu atravessei a esquina que passei a segunda casa, lá vinha a menina toda ensanguentada, com o short todo cheio de sangue e nas pernas, desesperada, chorando bastante”, contou.

Segundo a família da vítima, o crime aconteceu em um terreno baldio próximo a sua casa e a outra filha viu quando o suspeito correu. A mãe da menina explicou ainda que a filha não tinha amizade com o suspeito, mas que ele conseguiu o contato da vítima e começou a conversar com ela pelo whatsApp. “Eu mostrei ao delegado o celular dela, foi pelo whatsApp que conseguiu o contato com ela, inclusive as fotos tem lá no telefone que ele induziu ela a tirar foto nua. Ta o depoimento todinho no celular, o que ele mandava ela fazer, ela ia e fazia”.

 “Pelo amor de Deus, que a justiça seja feita, eu não conhecia o caso desse menino, mas, a mãe dele e o pai que me perdoem, mas, eu tenho que comunicar que esse já é o segundo caso dele. E o pai dele olhou pra mim e disse que ele não em nada a ver. Agora aconteceu com minha filha, vai acontecer com quantas mais pra passar o que estou passando? Só que a justiça tem que ser feita”, clamou a mulher.

A filha e a mãe foram acompanhadas pela Assistente Social do CRAS de São José do Bonfim.

Fonte: Patos Verdade